Atendimento via chat
Atendimento via chat

Projeto de Inclusão Digital


Moradores do Cibraci, Antonina Coelho e Seminário
têm aulas gratuitas de informática

A Faculdade Ubaense Ozanam Coelho (FAGOC) lançou, no último dia 28 de abril, seu Projeto de Inclusão Digital. Estiveram presentes autoridades municipais, empresários, jornalistas e representantes de entidades e associações da cidade.

O projeto visa promover a integração de grupos carentes da comunidade local com o mundo da informática e das novas tecnologias, criando oportunidades de trabalho e de reconhecimento social. Para iniciar, três turmas, com 20 alunos em cada uma, foram formadas por moradores do bairro Antônio Maranhão (mais conhecido como Cibraci), de estudantes da Escola Estadual Professor Lívio de Castro Carneiro (no bairro Seminário) e por estudantes que integram o grupo artístico "Arte na Lata", da Escola Estadual Padre Joãozinho, no Bairro Antonina Coelho.

O 1º módulo do curso já começou e tem duração de três meses. Eles estão aprendendo a usar o Sistema Operacional Windows e a Internet. No 2º módulo, que também será de três meses, as turmas vão aprender a usar um editor de textos e uma planilha eletrônica. As aulas são gratuitas e ministradas por estudantes do 4º ano do curso de Ciência da Computação da FAGOC, às segundas e quartas-feiras, no período da tarde.

A escolha dos alunos destas primeiras turmas ficou a cargo de representantes da Associação de Moradores e Amigos do Bairro Antônio Maranhão (AMABAM), da Escola Estadual Professor Lívio de Castro Carneiro e da direção do grupo "Arte na Lata". A idéia, segundo informou o Coordenador do projeto na FAGOC, Professor Marcelo Oliveira Andrade, é que os próprios líderes de moradores dos bairros carentes e de escolas da cidade façam a seleção dos participantes.

Futuramente, poderão ser montados laboratórios de inclusão digital nos próprios bairros, em parceria com o Comitê pela Democratização da Informática (CDI)", afirmou Marcelo. O CDI é uma organização não-governamental (Ong) que desenvolve o trabalho de inclusão digital em diversas cidades do país, através de suas Escolas de Informática e Cidadania.

Segundo pesquisa divulgada em abril de 2003 pela Fundação Getúlio Vargas, o Brasil conta atualmente com apenas 26,7 milhões de habitantes que podem ser considerados "incluídos digitais". O restante da população, os outros 149,4 milhões, não têm acesso à informática e à internet. "O mapeamento dos excluídos vem confirmar a importância de projetos como este que começa a ser desenvolvido pela FAGOC", concluiu Marcelo. A escolaridade média dos incluídos digitais é de 8,72 anos completos de estudo, praticamente o dobro daquela observada entre os excluídos digitais. A renda média entre os incluídos é de R$ 1.677 contra R$ 569 do total da população brasileira.

Mais informações podem ser obtidas com o professor Marcelo, na FAGOC. O endereço é Rua Adjalme da Silva Botelho, 20, Bairro Seminário. O telefone é (32)3531-2370.